Versão. 1.0
USUÁRIO: SENHA:

RECLAMAÇÕES À OUVIDORIA DO DETRO NORTEIAM AÇÕES DE FISCALIZAÇÃO

Apesar de em 2011 o Departamento de Transportes Rodoviários (Detro) ter apertado o cerco pela qualidade no serviço prestado por empresas de ônibus das linhas intermunicipais, que resultou em 2.484 veículos apreendidos e outros 2.078 infracionados, ainda é muito alto o número de queixas feitas pelos usuários do transporte público a sua Ouvidoria que, entre janeiro e dezembro, somou 6927 registros. Estas reclamações servem de base para a realização das ações voltadas, principalmente, para a correção das irregularidades na frota regular de ônibus. Entre as maiores reclamações estão a não parada nos pontos, descumprimento do quadro de horários, falta de ônibus, má conservação e falta de ônibus de duas portas. Todas as empresas reclamadas são acionadas pela Ouvidoria do Detro em até cinco dias úteis do registro da reclamação, as quais devem dar o retorno num prazo máximo de dez dias, caso contrário, estão sujeitas à multa de cerca de R$ 1.700,00 por descumprimento de prazo. Em 2011, as empresas mais reclamadas, levando-se em conta o número absoluto de registros, foram: Rio Ita (586), Auto Ônibus Fagundes (499), Auto Viação 1001 (434), Viação Nossa Senhora do Amparo (423), Viação União (402), Empresa de Transportes Flores (287), Auto Viação Reginas (286), Transportadora Tinguá (256), Viação Vera Cruz (234) e Viação Galo Branco (202). Quando é levada em conta a relação reclamação X frota operacional, este quadro sofre mudanças e as dez empresas mais reclamadas passam a ser: Empresa de Transportes Braso Lisboa (oito ônibus para 43 reclamações); Expresso Cruzeiro do Sul (23 ônibus para 99 reclamações), Viação Estrela (43 ônibus para 161 reclamações), Nilopolitana (52 ônibus para 193 reclamações), Viação Ponte Coberta (37 ônibus para 129 reclamações), Expresso Pégaso (cinco ônibus para 17 reclamações), Viação União (166 ônibus para 402 reclamações), Viação Galo Branco (85 ônibus para 202 reclamações), Viação Vera Cruz (106 ônibus para 234 reclamações) e Auto Ônibus Fagundes (246 ônibus para 499 reclamações). Entre os dez principais motivos das reclamações estão: não para no ponto (1444), horário irregular (900), falta de ônibus (395), má conservação (391), falta de ônibus urbano de duas portas (362), excesso de lotação (277), itinerário alterado (245), descortesia (238), direção perigosa (177) e ar-condicionado não funciona (158). Na verdade, os itens “não para no ponto”, “falta de ônibus” e “falta de ônibus de duas portas” têm correlação com a negativa à gratuidade já que, em sua maioria, os reclamantes destes quesitos são idosos, estudantes ou portadores de necessidades especiais para os quais os ônibus, muitas vezes, não param ou que são impedidos de embarcarem em veículos de uma porta. Os registros feitos na Ouvidoria do Detro pelo telefone (21) 2332-9535 ou pelo email ouvidoria@detro.rj.gov.br são usados também para nortear as ações de fiscalização, em especial, no transporte regular por ônibus, e deram origem à operação “Legal tem que ser legal”, realizada rotineiramente nos terminais rodoviários para checar as condições de tráfego dos veículos disponibilizados pelas empresas intermunicipais. Para 2012, as novidades na Ouvidoria do Detro são o aumento do número de atendentes e a extensão deste serviço aos postos do departamento nas principais rodoviárias da Região Metropolitana, dentro do projeto “Detro Cidadão”, que está em fase de implantação. – O Detro não pode permitir que os empresários atendam mal à população, ainda mais quando se sabe que a oferta de um transporte público de qualidade é prioridade e bandeira importante do governo Sérgio Cabral. Por isso, continuaremos firmes em nossas ações pelo conforto e segurança nas linhas intermunicipais – garante Alcino Rodrigues, presidente em exercício do Detro.
30/12/2011 11:12:23    Assessoria de Comunicação
LINKS ÚTEIS
Endereço: Rua do Rosário 164, Centro, Rio de Janeiro - RJ Cep: 20041-002       Telefones: Geral: (21) 3883-4100 Ouvidoria: (21) 3883-4141